Manifesto Caju Cozinha Independente


Por: Maíra Rebonatto Martini


“SONHE, REALIZE, PLANTE, COLHA, COOPERE, AJUDE, VIAJE, FESTEJE, APAIXONE-SE, DIVIRTA-SE, RESISTA, ESCREVA, LEIA, PRODUZA, LUTE, AME, PLANEJE, COMPARTILHE, LIBERTE, CONSTRUA, CONSPIRE, DESEJE, RESPEITE E FAÇA DO MUNDO O LUGAR ONDE VOCÊ GOSTARIA DE VIVER”

- Dias de Guerra, Noites de Amor - CrimethInc


Fotos: requeijão de castanha


Me manifesto em primeira pessoa, porque não consigo separar o “eu” do meu maior sonho.

Faz parte da mesma coisa, é igual receita de bolo, mistura farinha, fermento, água, açúcar e óleo, e aí está o bolo.

Derramo essas palavras autorais como se fosse a cobertura de um bolo - quente e adocicada.

Aos 06 anos de idade aprendi a fazer o meu primeiro prato, foi o pontapé inicial na cozinha e quando me dei por conta já era o cômodo favorito da casa.

Cozinhar pra mim é sinônimo de felicidade, de tranquilidade, de amor e um estado de paz. Me sinto tão relaxada ao cozinhar que entro num estado meditativo e acho que até terapêutico. Se alguém me perguntar o que mais gosto de fazer, respondo fácil – cozinhar.

Acho todo o processo delicioso de fazer – do picar ao servir, do planejar ao executar e sinceramente, nem com a louça me importo, até curto.

Hoje, me permiti em trazer essa natureza à tona e explorar o mundo aqui fora. Em transpassar a linha da cozinheira das jantas das migues, para me aventurar nos paladares de desconhecidos. Em acolher com sinceridade aquilo que eu sempre soube que queria fazer. O que me joga pro alto nos dias de tristeza e o que me faz companhia nos momentos de solidão.

Hoje, me permito a me experimentar, em me descobrir, em deixar a janela aberta para que a brisa possa entrar e trazer o frescor do novo. Hoje, compartilho o que me traz certeza e força. O que não me deixa na mão. O que me ensinou a ter paciência. O que me traz mais perto da liberdade e da autonomia.

Hoje, eu me apresento como cozinheira em transformação, entusiasta da boa comida simples e sem crueldade e que acredita que cozinhar é uma revolução!


“… em um mundo onde as coisas já vem prontas para o consumo e são compradas com o dinheiro obtido através de um trabalho repetitivo e tedioso, que exige de nós mais que estamos dispostos a dar voluntariamente, fazer a sua própria comida é um ato de resistência”.

- Receitas para utopias, cozinhando por ideias, lutando por um mundo melhor - Café Bonobo